amodacomoculturaflashB

Foto: Divulgação

2014, Campeonato Mundial de Futebol no Brasil. Torcedores nos estádios, turistas circulando pelas cidades-sede da competição convivendo com a cultura peculiar de cada uma delas:  São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba, Belo Horizonte, Brasília, Recife, Manaus, Cuiabá, Fortaleza, Natal, Salvador e Porto Alegre. Cada região tem suas particularidades, formadas pelas características de quem povoou suas terras e construiu suas casas. Cada cidade tem a sua cultura, cada cidade tem a sua moda.

Não tem como dissociar moda e cultura. Elas nasceram juntas. Enquanto expressão do que se passa na alma e no corpo, a roupa que se usa, e os acessórios que a acompanham, transmite informações, conteúdos e sentimentos.

Um estilista, consciente do papel da moda como geradora e propagadora de cultura, relaciona-se de uma forma diferente com a sua profissão  do que se atuasse como um simples fabricante de vestuário. O que ele produz não é um mero revestimento da pele, tem propósitos que ultrapassam o âmbito da funcionalidade. São peças que contam histórias, despertam emoção e ganham atemporalidade.

Pertencendo à família da cultura a moda sente-se em casa para buscar inspirações nas mais diversas manifestações artísticas. Que o digam estilistas brasileiros que escolheram esta vertente para  criar roupas, confeccionadas com tecidos e aviamentos, mas arrematadas com a forte identidade de um país múltiplo em suas artes e ofícios. Identidade é cultura.


LINO VILLAVENTURA 

linovilla

Fotos: Dilvulgação

A cultura está na raiz e na semente do trabalho de Lino Villaventura. Literalmente, pode-se dizer.

Nos ricos detalhes e arremates de suas roupas podem estar elementos da natureza, por ele colhidos e tramados com arte e delicadeza.

A dramaticidade  na apresentação de suas coleções tem uma razão de ser: a passarela é palco de uma cena teatral, que emociona e não deixa indiferente a plateia.

 

 

 

linojobs

Foto: Ag foto


marciaganem

Foto: Divulgação

MÁRCIA GANEM

Baiana, com atelier no Pelourinho, Márcia Ganem foi uma das primeiras estilistas brasileiras a absorver a riqueza cultural brasileira para transformá-la em roupas.

Para a estilista, a moda é mais que tecido, é uma interação com o ambiente onde ela é criada e pode surgir ao som dos atabaques e afoxés. Tradição Artesanal, Design e Inovação estão na base do seu trabalho que inspira e expira os ares de uma cidade plena de cores e de boas vibrações.

 

marciaganem

Foto: Divulgação

 ———————————————————————————


OSKAR METSAVAHT

oscarfoto

Foto: Divulgação

Surfista que resolve assinar coleções de roupas e acessórios. O que isso tem a ver com a profunda relação entre moda e cultura? A resposta está com Oskar Metsavaht que, através de sua grife Osklen, capturou o espírito do “bem viver” carioca e criou um estilo próprio. Roupas que têm compromisso com a Natureza e que são porta-vozes do jeito de ser do brasileiro – tão invejado fora das fronteiras do país.

 

 

 

oscarjobs3

Foto: Divulgação


RONALDO FRAGA

ronaldofraga

Foto: Divulgação

Guimarães Rosa, Portinari, Carlos Drummond de Andrade, Noel Rosa já inspiraram coleções do estilista mineiro. Mais que pesquisar vida e obra de quem faz arte no país, ao costurar roupas, Ronaldo Fraga acrescenta às suas criações o toque do “feito à mão” de costureiras, bordadeiras e rendeiras, fiéis guardiães do rico artesanato brasileiro. Não por acaso, a sua moda é atemporal e liberta de tendências da temporada.

——————————————————-

ronaldofragajobs'

Foto: Ag foto


SILMAR ALVES

silmaralves

Foto: Divulgação

O estilista curitibano Silmar Alves, há mais de uma década, inspira-se exclusivamente na cultura paranaense para desenvolver coleções que comovem ao resgatar personagens e situações que fazem parte do imaginário de quem vive na sua cidade. Dalton Trevisan, Paulo Leminski, Helena Kolody, o alegre mundo do circo dos Irmãos Queirolo já foram referências para suas criações.

 

 

 

 

 

 

silmaralves

Foto: Ricardo Pacak